Inseminação artificial em tempo fixo em vacas de corte no estado do Pará

  • Bruno Moura Monteiro
  • Cláudio Cabral Campello
  • Damazio Campos Souza
  • Bianca Souza Amorim
  • Joévelyn Jacqueline Santos Silva
  • Carolyne Teixeira Espírito Santo
  • Rinaldo Batista Viana

Resumo

Objetivou-se com o presente estudo analisar a utilização dos protocolos de indução do estro e sincronização da ovulação para a inseminação artificial em tempo fixo (IATF) no Estado do Pará. Para tanto foram avaliadas a taxa de prenhez de 2.170 vacas da raça Nelore, criadas em sete fazendas localizadas nas Mesorregiões Nordeste e Sudeste Paraense de acordo com os protocolos hormonais utilizados, bem como os respectivos resultados obtidos, considerando-se as taxas de prenhez por fazendas, por protocolos e por categoria submetida aos programas de sincronização. Os protocolos utilizados foram CIDR® + BE + ECP + Chang, CRESTAR® + BE + PGF + BE, CRESTAR® +VE + eCG, CRESTAR® + VE e o CRESTAR® + BE + PGF +eCG + BE, com taxas de prenhez iguais a 54,71, 49,67, 53,40, 50,00 e 54,90%, respectivamente. Deste modo, conclui-se que no Estado do Pará a IATF mostra-se uma alternativa promissora na melhora da eficiência reprodutiva, pois as taxas de prenhez foram satisfatórias em todos os programas adotados, sendo adequados em todas as categorias estudadas: novilhas, primíparas e multíparas.

Publicado
Jun 19, 2017
Como Citar
MONTEIRO, Bruno Moura et al. Inseminação artificial em tempo fixo em vacas de corte no estado do Pará. Livestock and Small Animals Medicine Journal, [S.l.], v. 4, p. 7-23, jun. 2017. ISSN 2594-9446. Disponível em: <https://lives.ufra.edu.br/index.php?journal=lives&page=article&op=view&path%5B%5D=49>. Acesso em: 17 abr. 2021.